A cerâmica grafitada e o seu contexto, entre a margem esquerda do Guadiana e a Serra de Aracena

Rui Soares

Resumen


Durante os séculos V e IV a.C., ao longo da bacia hidrográfica do rio Ardila, entre a margem esquerda do Guadiana e a Serra de Aracena, a decoração de determinados recipientes cerâmicos com recurso à aplicação de grafite foi uma realidade detectada em algumas ocupações sidéricas conhecidas, nomeadamente, no Cabeço Redondo, na Azougada, no Castelo Velho de Safara e em El Castañuelo. As temáticas decorativas e a tipologia dos recipientes decorados com grafite variam entre os sítios, pelo que esta análise permite classificar os recipientes cerâmicos consoante as diferentes formas e temas decorativos detectados. A compartimentação tipológica e a análise articulada da cultura material dos sítios onde até agora se detectou este tipo decorativo, permite tecer considerações sobre a importância dos recipientes grafitados e a sua pertinência para uma análise cronológica dos sítios arqueológicos onde ocorrem ou onde podem vir a ser identificados no futuro.


Palabras clave


Cerâmica grafitada; Grafite; Idade do Ferro; Margem esquerda do Guadiana; Rio Ardila.

Texto completo:

PDF           Cómo citar un elemento


DOI: http://dx.doi.org/10.33776/onoba.v0i5.3130 ';



Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

 


e-ISSN: 2340-4027.  -   ISSN: 2340-3047

Entidad editoraUniversidad de Huelva. Servicio de Publicaciones

Licencia de usoCreative Commons 4.0