A ocupação da Idade do Ferro de Cacilhas (Almada, Portugal)

Ana Olaio, Pedro Angeja, Rui Soares, Pedro Valério

Resumen


As diversas intervenções realizadas em Cacilhas entre os anos 80 e 90 do século XX revelaram uma longa diacronia de ocupação do espaço que recua, pelo menos, à Idade do Ferro. Do 1º milénio a.C., além de compartimentos de planta rectangular de aparente âmbito doméstico, identificou-se uma estrutura que foi interpretada como «cais pré-romano». 

O espólio recolhido nas duas áreas intervencionadas é numeroso e constitui-se essencialmente por cerâmicas, tendo ainda sido identificado um cadinho e uma faca em ferro. O interesse destes vestígios é reforçado pela localização de Cacilhas numa área com potencialidades naturais de ancoragem e pela proximidade relativamente ao povoado da Quinta do Almaraz.

O estudo do espólio evidenciou a profunda ligação desta área com o povoado da Quinta do Almaraz, do qual é uma provável continuação, bem como uma produção local/regional já plenamente consolidada, no Estuário do Tejo, durante o séc. VI a.C.. O presente trabalho pretende dar a conhecer o conjunto de materiais pré-romanos recolhidos em Cacilhas, integrando-o nas dinâmicas que ocorrem na primeira metade do 1º milénio a.C. no Estuário do Tejo, bem como analisar as estruturas escavadas face à sua função e ligação ao povoado da Quinta do Almaraz.


Palabras clave


Idade do Ferro; Estuário do Tejo; Produção local; Quinta do Almaraz; Cais



DOI: http://dx.doi.org/10.33776/onoba.v7i0.3398 ';



Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.

 


e-ISSN: 2340-4027.  -   ISSN: 2340-3047

Entidad editoraUniversidad de Huelva. Servicio de Publicaciones

Licencia de usoCreative Commons 4.0